PESQUISE NO BLOG

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Cinco carros que não deveriam ser vendidos no Brasil #2

Mais uma vez, é pouco, eu sei, mas deu pra selecionar 5 carros que não deveriam ser vendidos no Brasil. Neste ranking, levei em conta preço, custo de manutenção, valor de revenda e segurança. Este último item vale o dobro.

Chery QQ: O Pokémon chinês não deveria ser vendido nem na China, claro, se lá o governo se preocupasse com a segurança da população. Depois de receber péssimos resultados no crash test feito na Inglaterra pela VCA, ficou mais do que comprovado que o QQ, além de ter dimensões ridículas, tem uma estrutura frágil. Como já disse anteriormente "é mais fácil capotar um QQ do que dar uma volta no quarteirão a pé”.




Chevrolet Celta: Para o mercado brasileiro o Celta é um bom carro. Manutenção fácil e barata, baixíssima desvalorização, motor potente e econômico na medida certa. O pecado do Celta é a segurança. O Celta foi eleito um dos carros mais inseguros vendidos no Brasil. É mais fácil morrer em um Celta do que pulando de uma ponte.


Peugeot 207: Manutenção cara. Valor de revenda péssimo e o pior resultado no crash test realizado pela LatinNCAP. Com airbag (!). Não precisa comentar mais nada. O Peugeot 207 só é bom para quem tem. Desde que não se acidente e não queira vender.
Chevrolet Corsa Classic: Os mesmos problemas do Celta com um agravante. Esse carro foi concebido em meados dos anos 90! Mexe aqui, ali e essa coisa continua velha! Recebeu a pior nota no crash test da LatinNCAP. Esse carro não deveria ser bom nem pra frotista. Deveria ter suas vendas suspensas, mas estamos no Brasil.
Effa M100: A revista Quatro Rodas interrompeu, pela primeira vez na história, o tradicional teste de longa duração por, adivinhe o que? Falta de SEGURANÇA! O carro estava desmontando aos poucos e para o bem dos jornalistas que avaliavam o carro, o teste teve que ser interrompido. O governo brasileiro deveria se envergonhar de liberar a venda deste veículo no Brasil. Se é fácil capotar um QQ, o M100, com uma baforada, dá perda total.




Esses carros seriam proibidos em qualquer país sério. Qualquer país que preze pelo bem dos seus cidadãos. Infelizmente, a meta do governo atual é vender carros. Não importa se o brasileiro está cavando a própria cova, seja financeiramente através das prestações, ou por comprar carros frágeis como papel. A preocupação é apenas uma, vender.

Faltou algum carro na lista? Deixe aí nos comentários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário