Pular para o conteúdo principal

MONTADORAS VÃO TER QUE EXPLICAR O ALTO PREÇO DOS CARROS NO BRASIL



A Senadora Ana Amélia do PP/RS levou para o senado o que, há anos, já se discutia. Por que o carro no Brasil é tão ruim e tão caro? A proposta da Senadora é boa. Mas vai adiante? Gente muito mais poderosa tentou fazer o mesmo e se lascou. O problema é muito maior do que a gente imagina e não será numa audiência pública que saberemos a verdade existente por trás do alto preço dos carros.

A Senadora tocou, também, em um ponto importante: produção de elétricos e híbridos. Há tempos eu venho defendendo a ideia de que o governo deveria incentivar a produção de carros elétricos. Carro Flex é um atraso. Enquanto nossas “carroças” 1.0 fazem cerca de 15 km por litro, nos países ricos há carros 2.0 que fazem 20. No início dos anos 90, parecia que o país tomaria o caminho do desenvolvimento da tecnologia no setor. O Gurgel BR-800 fazia cerca de 19 km/litro na estrada. Hoje, nenhum carro popular chega perto desse número. Aliás, a Gurgel foi a primeira montadora a desenvolver um carro elétrico 100% nacional. Isso há mais de 20 anos (!).

Incentivar o etanol e o carro Flex não é a solução. Isso é andar para trás.

Isso nos leva a outra questão. Por que o país parou e ficou tanto tempo dependente das multinacionais? Por que os governos anteriores permitiram que se chegasse nesse ponto? Uma coisa é certa, no Brasil, um jeito fácil de ganhar eleição é mexendo no bolso do eleitor. Fazer discurso prometendo melhorar Educação, Saúde, Segurança é historinha para criança dormir. O povo brasileiro está acostumado a estudar em um ambiente péssimo, a ser maltratado pelo SUS e a ser refém de bandido. Neste país, o que garante vitória em uma eleição é IPI reduzido, crédito fácil e a perder de vista, redução no valor das prestações da casa própria, etc. Portanto, de fato, quem pode mudar a indústria automobilista brasileira é o próprio povo. Quando se sentir ferido e começar a reivindicar carros melhores e mais baratos, nem as quatro, nem as oito, nem as vinte ou sessenta grandes vão segurar a onda.

Se o povo não mostrar descontentamento com a situação atual, pode-se repetir a história contada na internet e em livros, sobre o que aconteceu lá no início dos anos 90, quando o Sr. João Gurgel foi até o então Presidente Itamar Franco pedir incentivo para a produção de um carro popular.

Essa iniciativa da Senadora Ana Amélia é digna de aplausos. Agora, se vai ou não ser explicado o verdadeiro motivo do alto preço dos carros no Brasil, ninguém sabe. Mas, pelo menos está dado o primeiro passo. Um primeiro grande passo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AS VANTAGENS DE COMPRAR UM VW GOL

Muito tem se falado dos carros "nacionais". Uns metem o pau, outros elogiam e alguns até os veneram cegamente torcendo como se fossem times de futebol. A verdade é que existem vantagens e desvantagens nesses carros.

Num mercado tão peculiar como o nosso e cada vez mais exigente, fica difícil saber quais as verdadeiras vantagens de se comprar um automóvel "nacional". Vejamos então quais são as vantagens de se comprar um Gol, o carro mais vendido do Brasil, que hoje enfrenta uma queda brusca nas vendas por motivos óbvios.

Ford vai utilizar o Microsoft HoloLens para projetar carros

Criticado por uns e amado por outros, o Microsoft HoloLens vem ganhando força no setor industrial. A prova disso é que a Ford se uniu à Microsoft para projetar seus carros em realidade aumentada.

CINCO CARROS 1.4 MAIS POTENTES

Sem delongas, vamos aos carros 1.4 "nacionais" mais potentes do mercado. Economia, conforto, espaço interno, nada disso vale aqui. O que vale é subir o morro tranquilo, com as bagagens e a família toda no carro. Será que isso é possível? Vamos à lista:


5 - Peugeot 207 1.4 16v
O 207 conseguiu uma façanha que parecia ser impossível. Ser menos potente que os motores Fiats. De imediato, os números não parecem surtir efeito. Mas é quando se anda no francesinho, que o desespero de pegar um morro vira rotina. O Citroen C3 tem o mesmo motor do 207.
Potência máxima (cv): 80,0 (G) / 82,0 (E) a 5.250 rpm
Torque máximo (kgf.m): 12,85 (G) / 12,85 (E) a 3.250 rpm