PESQUISE NO BLOG

sábado, 9 de fevereiro de 2013

DIRETO DE CHICAGO - FIAT 500L 2014 TERÁ JANELAS DE PLÁSTICO

Se você usa óculos há bastante tempo, provavelmente sabe dos benefícios das lentes de policarbonato. Elas não são apenas mais leves, são também, muito mais resistentes ao impacto que as de vidro. Há anos a indústria automobilística tenta substituir as tradicionais janelas de vidro pelas de policarbonato, mas isso se tornou um desafio muito maior do que o previsto pelos engenheiros.

No automobilismo, as janelas de policarbonato já são usadas em carros de corrida há anos, com um único objetivo, reduzir peso. Com a busca frenética por economia de combustível, ao que parece, finalmente esta tecnologia está chegando aos carros de rua. Segundo o “The Detroit News”, em 2014, o Fiat 500L será um dos primeiros carros, de rua, a utilizar janelas de plástico juntamente com os mais exóticos Porsche 911 GT3 e Audi R8 GT. Outras montadoras já tentaram o mesmo, mas sem sucesso.

O principal desafio da indústria ainda é a substituição de todas as janelas de vidro por policarbonato. O vidro de um carro comum, normalmente, pesa cerca de 50 quilos. Mas janelas de policarbonato podem reduzir esse número pela metade. O único empecilho é a segurança. O policarbonato é muito flexível e resistente a impactos. No caso de um acidente, os socorristas levariam muito mais tempo para quebrar as janelas. Além desse problema, as janelas de policarbonato podem aumentar o risco de lesões para os passageiros sem cinto (uma vez que não quebra), complicando também o salvamento em casos de incêndio ou afundamento do veículo.

É justamente isso que tem tirado o sono das montadoras. O ganho na economia de combustível, com janelas mais leves, seria muito maior. Mas felizmente a segurança dos ocupantes vem em primeiro lugar. A solução adotada pela Fiat, Porsche e Audi foi a utilização desse material em áreas como teto solar e janelas panorâmicas. A Ford também deve adotar o material nas portas traseiras do novo Ford Transit Connect, que será apresentado no Salão de Genebra. Apesar da substituição ainda ser tímida, a meta é utilizar o material em todas as janelas, reduzindo o peso e aumentando ainda mais a economia de combustível.

Como vão fazer isso preservando a segurança dos ocupantes? Bem, isso é lá com os engenheiros. De todo modo, nesta década, veremos avanços significativos na área e não deve demorar muito para que vejamos carros sendo produzidos com janelas de plástico. Infelizmente não no Brasil, já que a indústria automobilística brasileira, geralmente, nada contra a maré.

Nenhum comentário:

Postar um comentário